Desde que os primeiros casos do novo coronavírus foram confirmados no Brasil, diversas medidas foram adotadas para restringir a circulação de pessoas. Isso fez com que a dificuldade de manter pequenos negócios e a crise se tornassem pautas bastante discutidas.

Organizações dos mais diversos setores precisaram aderir a uma série de medidas para que não fechar as portas. Como exemplo, podemos citar as empresas do ramo de alimentação fora de casa, que estão sobrevivendo graças ao delivery, bem como os escritórios administrativos, que estão se adaptando ao modelo de trabalho em casa (home office).

Pensando nos impactos que o Covid-19 está causando na situação econômica do país, elaboramos este conteúdo para que você, que é um empreendedor de pequeno porte, confira algumas formas de driblar a crise neste momento. Acompanhe a leitura do artigo para conferir!

Quais efeitos o coronavírus tem gerado em pequenos negócios e na situação econômica em geral?

Os nichos do mercado que mais estão sentindo os efeitos econômicos por conta das medidas de contenção da pandemia são aqueles que dependem da interação presencial com os clientes, como:

  • varejo tradicional;
  • alimentação fora do lar;
  • serviços de beleza;
  • indústria do entretenimento — teatros, cinemas, shows etc.;
  • setor turístico;
  • universidades e escolas;
  • setores de hotelaria e motelaria;
  • academias de ginástica.

O resultado disso é que a economia do país já está sentindo os efeitos da redução drástica de clientes, o que tem levado negócios de todos os portes a adotarem medidas emergenciais para reduzir custos e aumentar a receita para equilibrar o caixa enquanto esse período agudo da crise durar.

Quais medidas estão sendo implementadas para que pequenos negócios lidem com a crise?

Para que os pequenos negócios enfrentem a crise causada pelo Covid-19, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) tem desenvolvido um conjunto de orientações para que empresários adotem medidas práticas que ajudem suas empresas a sobreviver esse período. Confira algumas delas a seguir.

Recursos do BNDES

A linha de crédito para pequenas empresas tem como objetivo beneficiar empreendimentos que estão enfrentando dificuldades para manter o caixa por conta das decisões sanitárias para contenção da epidemia do coronavírus. Elas estão disponíveis para micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$300 milhões.

Linha de crédito emergencial do Governo para pagamento de funcionários

R$ 40 bilhões serão destinados a pagar os salários de trabalhadores de pequenos negócios nos próximos dois meses — com a possibilidade de se estender por mais tempo, caso ainda seja necessário.

Mudanças nos aspectos tributários

Para que as empresas sobrevivam a esse cenário complexo, o governo está realizando uma série de reduções nos impostos cobrados e estendo prazos, como a declaração do Imposto de Renda, que foi prorrogada de 30 de abril para 30 de junho.

Quais medidas podem ser adotadas para driblar os impactos?

Infelizmente, não é a primeira vez que pequenos negócios e crise andam juntos. Para que sobrevivam a este momento de adversidade e minimizem os danos, as micro e pequenas empresas podem adotar as seguintes medidas.

Optar pelo modelo home office

Se os serviços podem ser realizados sem que necessariamente a infraestrutura da empresa seja utilizada, o trabalho de casa é uma das melhores alternativas para manter o negócio funcionando e resguardar a saúde de funcionários e clientes.

Negociar os prazos de pagamento com bancos e instituições financeiras

Diversas mobilizações têm sido feitas para dar suporte à população em geral, como a extensão dos prazos de pagamento e até mesmo aumento nos limites de crédito. Se sua empresa possui dívidas em bancos, é hora de entrar em contato, explicar a situação e renegociar.

Negociar os preços com fornecedores

O país inteiro está se mobilizando para reduzir os efeitos do Covid-19, e é totalmente compreensível que todos se ajudem pelo bem geral da sociedade. De maneira amigável, tente renegociar os prazos com fornecedores que não consegue pagar agora e priorize renegociar os valores com aqueles que você ainda tem condições de pagar.

Fazer uma avaliação criteriosa sobre seus custos operacionais

Reduzir todos os gastos possíveis é crucial neste momento. Se sua empresa opera em um imóvel alugado, por exemplo, tente conversar com o dono para reduzir valores ou prorrogar os prazos para o pagamento do aluguel.

Tomar cuidado com os incentivos dos bancos e do governo

Só recorra a redução de juros do microcrédito se o seu negócio realmente depender disso, pois a pandemia do coronavírus vai passar e as coisas tendem a voltar ao normal, mas ainda não sabemos quanto tempo isso irá durar. Não é hora de transformar a crise no faturamento em uma crise de crédito.

Eliminar ao máximo os desperdícios

Faça compras mais fracionadas para que seus estoques se mantenham menores, no caso de negócios que lidam com produtos perecíveis. Para isso, ter uma boa gestão do estoque e parceria com bons fornecedores é essencial.

Incluir a opção de delivery

Isso pode intensificar a demanda de produtos ou serviços entregues em casa e manter as vendas da sua empresa nesse período de distanciamento social.

Outras medidas possíveis são reduzir a jornada de trabalho dos funcionários, caso seja necessário, e negociar férias coletivas com os seus colaboradores.

Além dessas ações, é muito importante utilizar as redes sociais para divulgar a importância do consumo de pequenos negócios locais. Isso é crucial para a situação econômica do país e é uma ação que deve ser priorizada, já que cerca de 98% dos negócios no Brasil são classificados como de micro e pequeno porte, segundo dados do SEBRAE.

Como a tecnologia pode ajudar neste momento?

Por fim, mas não menos importante, vale destacar que muitas empresas têm se aliado à tecnologia nos últimos anos por conta dos benefícios que ela gera para a produtividade do negócio e em função da redução de custos — por conta de recursos de automação de tarefas e, é claro, da possibilidade de realizar tarefas remotamente, isto é, longe do espaço físico da organização.

Dito isso, este é o momento de buscar alternativas inovadoras para manter o seu negócio funcionando. O atendimento pode ser feito online? Então invista nessa modalidade, implementando um sistema de gestão integrada e aderindo ao uso das plataformas digitais, como as redes sociais e os apps de comunicação.

Lembre-se: não é a primeira vez que estamos lidando com uma situação que pôs o mundo inteiro em cheque. Outras pandemias já foram vivenciadas e causaram impactos fortes, mas foram vencidas. O coronavírus vai passar, e juntamente a ele, pequenos negócios e crise serão apenas mais uma lembrança de tempos difíceis na história.

Quer acompanhar todos os artigos e conteúdos informativos que postamos semanalmente? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no YouTube para não perder nenhuma novidade!

Compartilhar